Murundu

 

Meia Ponta Cia de Dança estreou nos dias 30 de novembro e 1º e 2 de dezembro de 2012 seu  espetáculo mais recente, “Murundu”, com concepção, direção e organização coreográfica de  Dudude Herrmann e  direção artística de Marisa Monadjemi.

O processo de “Murundu” iniciou-se em agosto de 2012 e teve como ponto de partida o clima, o tempo e o consumo no mundo, e como estes três tópicos são assuntos rotineiros e cotidianos de qualquer ser humano vivente. A peça aborda a questão do ser humano como mais um no planeta, mas faz isso de maneira poética, usando objetos descodificados de suas funções básicas para criar um ambiente de paisagens inusitadas.

“Ou faz frio, ou calor, ou chove, ou seca, há sempre um tom de reclame, sempre o tempo é culpado de todas as ingerências do viver contemporâneo e a impressão é que não se olha realmente para o porquê de tantas mudanças abruptas.”, declara Dudude Herrmann, responsável pela concepção, direção e organização coreográfica de “Murundu”.

O espetáculo foi criado para quatro bailarinos/ performers, e é definido por Marisa e Dudude com uma obra aberta, já que está em constante exercício de apropriação de descobertas. Na etimologia, “Murundu” significa pequeno monte, mas na peça a palavra é apropriada como também um monte de coisas, das mais variadas juntas, emaranhadas, disformes, misturadas e potentes.

“Murundu é tudo. Pode ser os bichos, as coisas, cada um vai ter uma leitura sobre isso, mas foi o meio ambiente a nossa principal fonte de inspiração para a criação do espetáculo”, conta Marisa Monadjemi, diretora artística da companhia.

 

 

 

compartilhe este post:
  • Facebook