De Esconder Para Lembrar

“De Esconder Para Lembrar”

Meia Ponta Cia. de Dança

 

“De esconder para Lembrar”, é o primeiro trabalho da Meia Ponta Cia. de Dança que se lança na aventura da dança contemporânea para crianças. Indo além das estruturas tradicionais das histórias infantis, a proposta desta montagem – inédita no estado e em quase todo o país – desperta a criança para o universo criativo da dança, através de uma poética coreografia dos sonhos e medos da infância.

Marisa Pitanga Monadjemi, diretora da Meia Ponta, explica a opção por um caminho por não recorrer a uma história auto-explicativa e linear, que por vezes prevalece nos trabalhos infantis. “Ao contrário, optamos por fazer emergir as ‘memórias de criança’, através das referências pessoais que os bailarinos-criadores trazem consigo”, explica.

De esconder para lembrar é um espetáculo de coisas escondidas no tempo. Um jogo em cena e brincadeiras guardadas nas lembranças de todos nós, como adedanha, trava-língua e esconde-esconde. Também estão presentes as nuances da “ingênua loucura”, que atribui poder mágico às crianças, permitindo-as ser, num piscar de olhos, “super-herói, passarinho ou adulto”. A montagem trata dessas coisas escondidas no tempo, refletindo um cotidiano lúdico. O resultado é um espetáculo de imagens sensíveis e comoventes, capaz de arrebatar o público de qualquer idade.

Foi vencedor do 6º Prêmio Usiminas/Sinparc (Sindicato dos Produtores de Artes Cênicas de MG), na categoria melhor bailarina e melhor trilha sonora para espetáculos de dança de 2008.

“As situações eleitas e o modo como são apresentadas carregam, ainda bem, uma lógica de espetáculo sem contação de história e sem “lição de moral”. É uma poética traduzida em fazeres que vai alinhavando tudo, realizada por um elenco de grande competência”

(Helena Katz – crítica jornal o Estado de S. Paulo – 19/04/2008)

“Quem assistir a De Esconder para Lembrar tem boas chances de sair do teatro com aquela sensação de felicidade provocada apenas pelas obras de arte capazes de provocar catarse intensa, como se tirasse peso do coração e da alma dos espectadores [...] Se a força desses elementos já é forte em si mesma, a catarse surge da maneira como combina tudo isso, lúdica sem ser frívola, consciente, sem perder o sentimento de vista”

(Marcelo Castilho Avellar – crítico jornal Estado de Minas – 19/08/2008)

 

Confira algumas fotos do espetáculo:

 

FICHA TÉCNICA

Direção Geral: Marisa Pitanga Monadjemi
Direção Coreográfica e Direção de Cena: Denise Stutz
Assistente de Direção: Tuca Pinheiro

Criadores: Denise Stutz, Inês Amaral, Liana Sáfadi, Marisa Pitanga Monadjemi, Priscila Fiorini, Tuca Pinheiro e Violeta Penna
Intérpretes: Karina Collaço, Violeta Penna e Guilherme Morais

Criação de cenário, figurino e design gráfico: Marcelo Xavier

Criação de Luz: Telma Fernandes

Coordenador Técnico: João Bosco da Mata Jr.

Trilha Sonora: pesquisa realizada pelo grupo

Fotos de divulgação: Cuia Guimarães

Produção: Mercado Moderno – Keyla Monadjemi

 

compartilhe este post:
  • Facebook